Instituto Banco Palmas |  Projeto ELAS

Projeto ELAS

O projeto caracteriza-se pelo desenvolvimento de um conjunto de ações de promoção, formação e orientação as mulheres do programa Bolsa Família, tomadoras de crédito do Banco Palmas, tendo como objetivo a inclusão socioprodutiva, financeira e bancária destas mulheres.

Posto em prática pelo Instituto Palmas na região do Jangurussu, uma das regiões mais pobres na periferia de Fortaleza-CE. O está ancorado numa politica de microcrédito (e outros produtos financeiros) e na pessoa dos Agentes de Inclusão Socioprodutiva, que acompanham sistematicamente as mulheres promovendo sua inclusão social e econômica, baseado nos princípios da economia solidaria. As ações são desenvolvidas por uma equipe que tem sua ação territorializada, onde a atuação do Agente de Inclusão Socioprodutiva é de fundamental importância.

 

A Filosofia do Projeto

O projeto inicia com a tomada de decisão da mulher em procurar o Banco Palmas ou o Ponto de Finanças Solidárias do Jangurussu para solicitar um credito com o objetivo de ampliar ou iniciar uma atividade produtiva.

Basta a mulher apresentar o cartão do Bolsa família e realizar  uma entrevista com o atendente do Banco Palmas para que ela tenha acesso a um primeiro crédito de até R$ 150,00 (cento e cinquenta reais) podendo ir evoluindo  até R$ 15.000,00 (quinze mil reais). Após receber 1º crédito a mulher se insere, automaticamente, no projeto ELAS e fica sendo acompanhada pelos Agente de Inclusão Socioprodutiva, recebendo pelo menos 1 (uma) visita mensal.

 

Área de Atuação

Neste primeiro momento o projeto está autuando na região do Grande Jangurussu, regional VI de Fortaleza, caracterizada por ser uma das regiões mais pobres de Fortaleza.

 

Mulheres Beneficiadas

Até junho de 2010 existiam 1.500 mulheres beneficiadas pelo projeto.

Mulheres do Bolsa Família

Além de serem beneficiadas pela diversas atividades (crédito, oficinas, treinamentos), as mulheres participam através do “Forum pela Emancipação Socioprodutiva, Financeira e Bancária”, formado por representantes das diversas comunidades em que o projeto atua. Ao todo serão 33 mulheres do Bolsa Família que comporão do conselho gestor do projeto.

O que o Projeto oferece

Conselho Gestor do Projeto ELAS

Quinze mulheres do Bolsa familia descutem e decidem sobre o projeto, e nos ensinam a arte de “pastorar” os filhos e vim para o curso, o desafio de “deixar a casa da gente” para buscar trabalho, a dificuldade em ser analfabeta e “conseguir serviço”, a estratégia pra ter renda “apesar do marido”, a descoberta de “um monte de coisa” depois que entrou pela 1ª vez no cinema…aos 40 anos de idade!

O primeiro passo para se obter sucesso com um programa de inclusão produtiva é ouvir os “excluidos”. Nessa perspectiva o Conselho Gestor é ferramenta estratégica para o Projeto ELAS.

Quem são ELAS?

Veja as fotos aqui

Carta a Ministra

Leia no arquivo abaixo a carta emitida por Joaquim de Melo Neto à Ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.

Arquivo completo em PDF

 

Notas explicativas

1. Crédito Produtivo: linha de crédito especialmente criada para as mulheres do programa Bolsa Família, de contratação rápida e sem exigências. A mulher precisa apenas apresentar o cartão de beneficiária do programa para que possa acessar a um primeiro crédito de até R$ 150,00 (cento e cinquenta reais), podendo evoluir até R$ 15.000,00 (quinze mil reais). 2.200 mulheres do Bolsa Família já receberam crédito produtivo do Instituto Palmas.

2. Fundo Solidário para Compras Conjuntas: É um fundo criado para atender grupos de mulheres do Bolsa Família que trabalham no mesmo ramo, ajudando-as a realizar compras conjuntas de matérias primas e produtos manufaturados. Por exemplo, um grupo de mulheres costureiras, um grupo de mulheres que trabalham com beleza e outros. Esses grupos fazem uma lista de compras e o Banco Palmas compra direto no fornecedor. As mulheres pagam ao banco, em 06 parcelas, sem juros. Atualmente temos 30 mulheres beneficiadas com esse fundo. Atualmente já existem dois grupos formados: Beleza e Costura

3. Ponto de Finanças Solidárias: Funciona como um pequeno banco comunitário, com a diferença por ser administrado diretamente pelo Instituto Palmas, possibilitando ampliar a oferta de serviços financeiros as mulheres do projeto, mais próximo de suas casas.

4. Educação Financeira: Para 20 a 30 mulheres, com o objetivo de orientar para na organização de suas finanças e do empreendimento

5. Encontros Pedagógicos: Para 30 a 50 mulheres com o objetivo de refletir sobre as práticas cotidianas da economia solidária, do consumo consciente, da valorização da vida comunitária e associativa. É também um momento de “escuta” das dificuldades e conquistas das mulheres.

6. Encontros Setoriais: Realizados com mulheres que trabalham no mesmo ramo (artesanato, confecção, salões de beleza, culinária, entre outros) objetivando uma ação conjunta, com base na Economia Solidária.

7. Formação e capacitação profissional: Em diversas área (artesanato, confecção, culinária, beleza e outros), geralmente de 20 a 40 horas, destinados as mulheres do programa.

 

 

Projeto Elas